Mitos e Verdades sobre a depilação íntima

Por que você faz depilação íntima? Pesquisadores norte-americanos fizeram essa pergunta a mais de 3.000 mulheres para entender os motivos por trás da prática. Eles descobriram também que a retirada dos pelos da região da vul va, seguindo os passos do Brasil, já está enraizada na cultura estado-unidense. Mas será que esse é um hábito saudável? Veja a seguir o que eles têm a dizer.

1

Depilação íntima: por que as mulheres fazem?: Os pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, entrevistaram 3.316 mulheres com idade entre 18 e 65 anos, das quais 84% já haviam feito depilação íntima enquanto 16% nunca havia se depilado. Confira a tabela aqui!

As quatro principais motivações para fazer depilação foram:

  • – Higiene (59%);
  • – “Fazer parte da rotina” (46%);
  • – Melhorar a aparência da “pepeca” (31,5%);
  • – Preferência do parceiro (21%).

As situações para as quais elas disseram se depilar foram:

  • – Para fazer amor e ter melhor intimidade com o parceiro (56%);
  • – Para feriados (46%);
  • – Para idas ao médico (40%).

Aparência da região íntima é uma preocupação: Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, a ginecologista e obstetra Tami Rowen, autora do estudo, contou que, ao longo dos anos, tem percebido que as mulheres estão muito mais preocupadas com a aparência da genitália. “É comum elas pedirem desculpas por não estarem depiladas e perguntarem se parecem ‘normais’”, referindo-se às consultas médicas.

No estudo, os autores contam também que a depilação é uma tendência cultural muito motivada pela representação da prática intima amorosa na mídia. De acordo com eles, a moda da depilação íntima começou aqui no Brasil, terra de muita praia, piscina, sol e biquínis pequenos, e ganhou força com revistas e vídeos que mostram os geniitais femininos completamente sem pelos.

Além da higiene, a campeã quando falamos de motivações para a depilação, quase todas as respostas mais frequente dadas pelas mulheres como motivadores da depilação demonstram a preocupação em “deixar a vul va mais bonita”, principalmente para o outro ver, seja o parceiro, o médico ou pessoas desconhecidas na praia.

A depilação para o ato intimo entre um casal confirma essa informação, uma vez que a presença de pelos não interfere na qualidade da relação. Depilar-se para feriados e para idas ao médico demonstra a mesma tendência entre o que é considerado um padrão adequado ou inadequado em relação aos pelos pubianos.

Faz mal depilar a área íntima?: Outro ponto levantado pelos realizadores do estudo é a falta de informação das mulheres que fazem depilação. Eles entendem que, além do médico, é papel das depiladoras informar a suas clientes sobre os potenciais riscos da depilação íntima.

A ginecologista Claudia Leitão explicou que a remoção total dos pelos da região íntima pode tornar a região genital mais propensa a irritações e vulvovaginites (inflamações na vul va e na vag i na), uma vez que facilita a entrada de bactérias. Ela conta ainda que os pelos fazem parte do nosso sistema de defesa e funcionam como uma barreira física muito importante para impedir a invasão de agentes patogênicos.

Depilar é higiênico mesmo?: A ginecologista contou também que é mito achar que cultivar os pelos pubianos é anti-higiênico, ao contrário, eles evitam que a “sujeira” chegue a lugares onde pode ser mais perigosa, como o canal vag i n al. Para manter a higiene do local em dia, os cuidados são outros, como, por exemplo, lavar diariamente a região com água e sabonete neutro, trocar o absorvente de 4 em 4 horas durante a menstruação e, na hora de se limpar, passar o papel higiênico da frente para trás. Entenda como depilar de forma segura!

Lembramos que o comparativo da pesquisa não exprime algum tipo de ideologia ou apologia a tal tema de responsabilidade do site, estamos apenas reproduzindo um conhecimento científico.

Vimos em: meninadeargola.com.br

Comentar