Menino de rua se aproxima de carro somente para pedir esmola, após isso algo emocionante acontece!

O Quênia é um país aonde existem pessoas que passam dificuldades ao extremo. A vida dessas pessoas não é fácil, trabalham intensamente e ainda, muitas delas precisam recorrer pedindo esmolas na rua. Foi justamente o que aconteceu com um garotinho chamado John Thou.

wwwww

O garoto vive nas ruas pedindo esmolas, pois perdeu sua mãe e teve que fugir de casa graças ao seu pai que sempre o tratou de forma agressiva. As únicas pessoas da sua família ainda vivas eram a avó e seu tio. A avó era responsável por cuidar dos netos após a morte da mãe deles. O tio tinha um temperamento igual ao pai e por isso, John não teve escolha a não ser pedir esmolas nas ruas.

23232

Mas, o que ninguém certamente esperava acabou acontecendo. O garoto ao abordar um carro para pedir esmola, viu que a senhora que estava no carro precisava de uma máquina de oxigênio para sobreviver e diante daquela situação, John segurou a mão da idosa e começou a chorar.

Gladys Kamade era o nome da senhora que usava aquela máquina há dois anos. Além disso, ela era cega e já tinha sofrido sete abortos espontâneos e devido ao abuso sofrido pelo marido durante a última gestação, ela começou a usar o aparelho.

Ao ouvir a história da idosa, o garoto não conseguiu segurar as lágrimas. A inocência da criança comoveu a todos. Ele segurou a mão da senhora e começou a rezar pedindo a Deus que ela fosse curada. Algumas pessoas que viram a cena tiveram que consolar o menino.

A história do menino espalhou-se rapidamente e não demorou muito para o prefeito da cidade fizesse algo para ajudar aquela senhora. que história heim. nem todos são maus, sempre Deus usa pessoas para falar conosco o que não podemos é desistir dessa davida que o senhor nos deixou que é a vida.

Lembramos que o comparativo da pesquisa não exprime algum tipo de ideologia ou apologia a tal tema de responsabilidade do site, estamos apenas reproduzindo um conhecimento científico.

Vimos em: imagemdodia.com.br

Comentar